Rodrigo Benato

Coronavírus: quais medidas as empresas podem tomar diante da pandemia de COVID-19

Coronavírus: quais medidas as empresas podem tomar diante da pandemia de COVID-19

Mantenha seu público (interno e externo) bem informado

A sua empresa precisa manter informados clientes, parceiros, colaboradores e demais stakeholders. Em meio a tantas incertezas, novas resoluções são apresentadas todos os dias e as pessoas precisam saber como isso afetará os seus direitos e suas responsabilidades.

Sendo assim, não poupe canais de comunicação. Use as redes sociais, blogs, email, páginas extraordinárias, telefone e, se for preciso, até as grandes mídias para manter todos os envolvidos com o negócio a par dos acontecimentos e das decisões que estão sendo tomadas.

A Telefônica, por exemplo, usou o Twitter para informar que um dos seus colaboradores foi diagnosticado com a COVID-19. Além disso, esclareceu que ele se encontra hospitalizado, mas que seu quadro de saúde é estável.

Não interfira nos comunicados de saúde

Se você não é uma autoridade, não é o seu papel definir ou divulgar protocolos de ações de combate à pandemia.

Lembre-se que a situação é muito delicada e a população necessita de informações precisas, portanto, deixe que os órgãos oficiais e profissionais de saúde realizem esse trabalho.

Ajuste a sua linguagem para a seriedade que o momento exige
Esse não é o momento para humor ou sarcasmo na comunicação corporativa.

As pessoas estão apreensivas e a mínima percepção de desprezo ou despreocupação com a situação pode afetar severamente a reputação da sua marca.

Seja claro e objetivo

A população está sendo bombardeada com noticiários e conteúdos sobre o Coronavírus e, portanto, se você deseja continuar capturando a atenção das pessoas, precisará ser o mais claro e direto em suas mensagens, artigos, mídias e campanhas.

Mantenha-se atualizado

Estamos diante de uma emergência e existem muitas questões a serem esclarecidas. É um momento de mudanças rápidas no qual a informação divulgada agora pode perder a sua relevância em horas.

Sendo, assim, nunca foi tão importante manter-se atualizado, sobretudo em relação às orientações de controle divulgadas pela OMS e pelo Ministério da Saúde.

Maior demanda no e-commerce

Fique atento para mudanças no comércio eletrônico. É provável que as vendas no e-commerce aumentem.

No entanto, embora parte da operação das lojas seja online, serviços de empacotamento, despacho e logística podem ficar inativos pela dispensa temporária de trabalhadores. Informe, portanto, seus clientes sobre todas essas possibilidades

Mudanças no varejo físico

Um balanço preliminar realizado pela Associação Comercial de São Paulo já apontou recuo de 16,7% nas vendas no primeiro fim de semana após orientação dada pelo governo da cidade de reduzir a circulação de pessoas.

A boa notícia é que há um consenso entre especialistas e autoridades internacionais de que o cenário grave da pandemia é limitado, e as medidas de controle podem ser atenuadas em muitas regiões à medida que a situação for sendo controlada.

Até lá, os lojistas lutam para se adaptar às vendas na internet disponibilizando catálogos digitais, desenvolvendo pequenas lojas online, criando perfis em Marketplaces e disponibilizando entregas locais.

Maior uso de serviços digitais

Com muitas pessoas em casa, as plataformas online e os serviços de delivery naturalmente serão mais solicitados. A diversidade de soluções disponibilizadas via mobile atualmente tranquiliza boa parte da população por dispensar visitas a bancos, lotéricas e até supermercados em algumas cidades.

O destaque, porém, está nos serviços de streaming que já reforçam sua infraestrutura para atender o maior demanda de usuários simultâneos em suas plataformas. A Amazon, por exemplo, reforçou a equipe de colaboradores e anunciou a contratação de 100 mil funcionários.

Fechar Menu
Estou on-line! Converse comigo :)